Quanto vale quem você ama

Por Gilaelson 19 de julho de 2016 Religião

Por Gilaelson

 

Esta pergunta pode obter respostas rápidas de uns ou se tornar completamente embaraçosa para outros. Mas a verdade é que as pessoas têm um determinado valor para todos nós. E este valor consiste na importância ou dedicação que damos a cada uma delas. Pessoas que dificilmente ouvimos, com necessidades que pouco atendemos, geralmente estão lá atrás em nossa escala de valores. Não podemos, porém, generalizar a ponto de afirmarmos que não amamos as pessoas a quem damos pouco valor. Pois é possível que, no estica e puxa da vida, este amor tenha perdido seu próprio valor e, por isso, não tenha mais a capacidade de valorizar o outro. Aí, deve-se começar uma grande maratona, a fim de se exercitar o jeito de amar de cada um; para que tenha uma performance mais rica.

 

O amor pode sim perder parte de sua essência. Quando mal orientado, equivocado ou até mesmo cego. Isto é, sem a capacidade de ver realidades. Por exemplo: Um pai, que devido aos seus afazeres, deixou de dar tempo ao filho está desvalorizando o mesmo. Mas não podemos dizer que este pai não ama a seu filho. Talvez o que ele esteja precisando é rever valores, se reorganizar, enxergar seus pontos deficientes, etc. Isso vale também para outras relações. Pois, como afirmei, até o amor humano é passivo de enfraquecimentos e perdas. Entretanto, uma coisa é certa, valorizar pessoas é sempre uma característica de quem ama.

 

Nós podemos ter duas concepções a respeito do amor que acreditamos nutrir por alguém. A primeira é aquela afirmativa que fazemos: “eu amo tal pessoa”. A outra é a “prática desse amor”. Esta última é confrontativa. Por isso, temos mais dificuldades em fazer avaliações dessa concepção, porque uma coisa é falar ou sentir no coração e outra é produzir ações que confirmam o amor anunciado. E este é o momento certo para avaliar, se você é ou não um hipócrita na arte de se relacionar.

 

Hoje, ao invés de lhe perguntar o que você faria por quem você ama e criar margem para poesias vazias, quero lhe indagar sobre: o que você tem feito por quem você afirma amar? Pensou? Conseguiu encontrar alguma coisa concreta ou simplesmente subjetividades? Acredite! O resultado dessa sua rápida busca atrás das cortinas da consciência revela o real valor que você tem dado às pessoas que se relacionam com você.

 

Lembra aquela famosa frase: “Errar é humano”? Eu acrescentaria dentro dessas aspas que corrigir erros também é humano. Portanto, se você, após ler esta reflexão, se sentiu um devedor. Corra! Dá tempo. Comece a fazer diferente, surpreenda quem você ama, abrace, beije, dê carinho, ajude, fale, ouça, declare, elogie, mostre seu sorriso, ofereça mais uma oportunidade, perdoe; enfim, valorize mais! Afinal, a vida é muito curta e valorizar as pessoas pode ser uma forma prazerosa de saborear dias mais felizes.

 

SHARE