Carta aberta aos evangélicos pelo episódio Boechat

março 8, 2019

Por Gilaelson

Nenhum grupo teve mais visibilidade nos últimos dias nos feeds de notícias das redes sociais quanto os evangélicos. As postagens que preenchiam as linhas da ignorância lotavam a consciência dos mais fracos de tolices, além de revelar quão distantes estão da compreensão real do Evangelho, que é o próprio Jesus Cristo. Enquanto o corpo do falecido ainda era consumido pelas chamas do helicóptero em plena rodovia, já era possível ler, nas redes sociais, acusações a Boechat, as quais partiam desde vídeos onde ele falava do seu ateísmo a lembranças de discordâncias ideológicas com líderes religiosos. Enfim, era a confissão por escrito do caos da fé.

Aproveitando-se da situação, muitos evangélicos passaram a atribuir o acidente com o jornalista a uma recompensa por seu ateísmo, ou por ter entrado em atrito com um líder religioso ou até por ter pronunciado em rede nacional sua descrença em Jesus Cristo, um verdadeiro jardim de infância, disponível para divertimento de leitores e entretenimento para os curiosos de plantão.

Por isso, resolvi expor aqui minha indignação com o ocorrido. Desde 2006, tenho declarado em alto e bom som, por meio de artigos, frases, comentários em áudios, conversas entre amigos, etc, que não quero ser contado junto com vocês evangélicos. porque vocês só sabem ler a bíblia usando as lentes da religião; em outras palavras, vocês não sabem viver sem essa viseira da ilusão. Se o evangelho tivesse influência em suas leituras como a religião exerce, nossa Terra de Vera Cruz seria outra.

Cansei de ver vocês acusando, quando o Evangelho propõe a absolvição. Já não suporto mais as suas indelicadezas quando o momento implora pela elegância e clama pelo cuidado. Quantos de vocês que criticaram o falecido enviaram flores para a família ou ao menos uma frase de conforto as suas filhas órfãs de pai? Sinceramente, a frieza de vocês congela o exercício da misericórdia e paralisa a prática do amor entre aqueles que apenas estão iniciando no evangelho. Vocês dizem que Deus matou um cara porque este não acreditava Nele. Mas não olham para a verdade bíblica de João 13:34 que diz:”Um novo mandamento lhes dou: Amem-se uns aos outros. Como eu os amei, vocês devem amar-se uns aos outros”.

O texto não diz para sentenciarmos uns aos outros ao inferno ou coisa do tipo; pelo contrário, nos ensina a amar. Será que acham mesmo que a morte é a punição para um ateu? Bom, mas já que vocês também irão para a cova, então qual é a blasfêmia de vocês?  Tenho vomitado a teologia de vocês por mais de uma década. Realmente, seus ajuntamentos nos templos têm sido para pior como denuncia a própria Escritura. Vocês evangélicos vem se vangloriando, nos últimos anos, por causa de um crescimento numérico absurdo! Porém, esse crescimento não produz frutos que apontam para arrependimento; pelo contrário, esse sucesso todo só serve para hospedar aproveitadores e promover escândalos ao Evangelho.

Mas, voltando ao Boechat, entre tantos relatos bons que ouvi sobre o jornalista, soube, segundo testemunhas, que este praticava o amor ao próximo. E, tendo o prazer de  assistir, no dia seguinte ao seu falecimento, um vídeo dos seus colegas de trabalho, onde os mesmos se reuniram para chorar a morte do parceiro, realmente foi como um tapa na cara de vocês, já que o Cristo nos ensinou a chorar com os que choram. E aquele momento era para chorar com eles e não para falar mal de um falecido. Lamento que vocês tenham que aprender princípios tão basilares das Escrituras com os incrédulos.

Enfim, ao terminar de ler essa carta, você terá duas opções: a primeira será a de refutar minhas palavras (e já vou adiantando que não terei nenhuma dificuldade em responder a questionamentos) e a segunda, a de se arrepender, pedindo perdão a Deus e se comprometendo a  agir diferente da próxima vez.

Sugiro que escolha o arrependimento, talvez Deus lhe derrame a misericórdia que a família do falecido não encontrou em você.

 

Considere isso…

Feliz Dia da Mulher Feminina
março 8, 2019
Hoje prefiro o silêncio
março 8, 2019