Você não precisa ser gente boa com todos. Apenas seja gente boa

4 de abril de 2020

Por Gilaelson

Uma lição que cedo ou tarde teremos que aprender é a de que na maioria das vezes as pessoas não gostam da gente. Elas amam o que nós podemos fazer por elas. E não se admire com isso, porque até em relação a Deus, costumam agir dessa forma.

Observem que muitas das vezes em que as pessoas procuram ou são convidadas a se relacionarem de alguma forma com a divindade é sempre assim: Deus vai mudar a sua vida. “Venha que ela resolverá sua situação”; “Tenha fé e o milagre acontecerá”. E o tempo passa, deixando claro que aquela aproximação disfarçada de fé, não era interesse na pessoa divina, mas sim no que ele poderia fazer.

Verdade é que, estamos lidando com uma enxurrada de interesses pessoais diariamente! Muitos se disfarçam de amor, há aqueles que fingem amizades, outros até deixam escapar suas reais intenções. Entretanto, não podemos parar de fazer o bem sem se importar a quem. É uma questão de amor com via única mesmo, é um diagnóstico triste, mas que nos diferencia desse jeito egocêntrico e promíscuo de viver.

E geralmente não importa se a relação é vertical ou horizontal, esses indivíduos não mudam suas estratégias, afinal o objetivo deles é somente ter proveito próprio. E se seus pais não lhe deram essa aula ou você pulou essa matéria na vida, ainda dá tempo de saber que não há como fugir dessa realidade, mas é perfeitamente possível imprimir uma postura diferenciada no tocante a esse comportamento. Porque essas pessoas só mudam de nome e geografia, mas estão em todos os lugares.

E se você é daqueles que ainda se sente culpado ou considera-se devedor por não ter podido ajudar alguém que viva sob essa condição, cuidado! Não caia na tentação de agradar a todos, porque definitivamente não existe essa possibilidade! O que existe mesmo, é a opção de ser gente boa, todas as vezes que for possível.

No Comments

Deixe uma resposta

avatar

Publish

Está faltando alguém à mesa neste Natal
25 de dezembro de 2019
Viver dói!
4 de abril de 2020